Blog Archive

Monday, February 28, 2011

Concurso literário Em Portugal Sê Poeta

Eu
Quero cantar bem alto Portugal
Quero tocar a alma de cada Português
No silêncio das palavras
quero fazer ouvir o pulsar do meu País
Quero ouvir-me ouvir aqui
e além mar
Num abraço apenas
quero reunir a alma lusitana
Entoar um hino à saudade
Quero que nas asas do vento
o meu sentir toque as estrelas
Bradar que te amo meu País
meu Povo, minha Terra, minha Pátria e meu Mundo
Portugal
Maria Dordio Castanho, 7º A
Mote
Como meu, teu e seu
Vários caminhos de porta aberta
Um deles a poesia,
"Em Portugal, sê poeta"
Durante a Idade Média,
Viveu Luís de Camões...
Muito sofreu,
Tanta injúria passou
No entanto escreveu um livro
E para a história ficou
A alto nível chegou
Esse livro que escreveu
Por isso ficou para sempre
Como meu, teu e seu
Tantos poetas actuais
Antigos e futuristas
Seremos nós uns deles?
Será um futuro à vista?
Na escola sempre aprendemos
A poesia, o poeta
Podemos-lhe chamar cultura
Ajuda a alcançar a meta,
Muitas barreiras da vida,
Vários caminhos de porta aberta
Num país onde nada está bem
Onde todos se queixam
Não deixes nada ao desdém
Aproveita tudo o que és,
Tudo o que tens,
Todos os bens,
Todos os momentos,
Todos os sentimentos,
Exprime-os em poesia
Torna-te poeta
Explora a poesia,
E sabes? Aproveita a vida
Não a deixes perdida
Segue exemplos Portugueses,
Pois antes de haver democracia
Já havia quem escrevia
E mesmo assim pedia gorjeta
E é em memória a eles
Que peço e afirmo
"Em Portugal, sê poeta".
Joana Dimas, 8º A
O que não sou
Alma Fado e Saudade
O sentir do meu país
Minha gente que parte
Num destino que não quis
Em busca de um Mundo novo
encontra sonhos perdidos
Na esquina de cada cidade
Encontros e reencontros
Em Portugal a Saudade
De um Fado que não tem fim
Sente-se a brisa de um tempo
Que partiu e já voltou
O Fado, a Pátria e tudo aquilo que não Sou!
José Manuel Castanho, 9º A



A DREA lançou o desafio: produzir um poema, sob o tema "Em Portugal sê Poeta". Os alunos do 3 º Ciclo e do CEF - Serviço de Mesa colocaram mãos à obra e revelaram-se verdadeiros poetas. Parabéns a todos! Difícil mesmo foi apurar os três poemas vencedores... Aqui ficam!

1 comment:

Valdecy Alves said...

Nietzsche dizia que o mundo é um imenso pântano e que a arte é a orquídea colorida e bela que nasce no alto da árvore podre.
Digo então que BLOGS DE POESIA SÃO ORQUÍDEAS NO PÂNTANO DA WEB.
Convido a ler poesia da minha autoria, escrita ontem 05/03/2011. Se gostar comente e divulgue:
http://valdecyalves.blogspot.com/2011/03/canto-vida-peregrina.html